Roteiro de luxo e charme na África do Sul com crianças: a combinação que você não esperava

  • 27 de novembro de 2019
Roteiro de luxo e charme na África do Sul com crianças: a combinação que você não esperava


Em 2015, estivemos na África do Sul em uma linda viagem romântica que despertou nosso amor pelo país (o post você pode ler aqui). Conhecemos hotéis que nos fascinaram e nos fizeram prometer que voltaríamos um dia com nossos futuros filhos. E esse dia finalmente chegou!

 

Safari no Royal Malewane

 

Essa viagem foi toda voltada para experimentação de hotéis, de forma que pudéssemos trazer nossas recomendações a vocês! Por isso, não é um roteiro que eu indicaria para ser feito à risca, por ser bastante picadinho, mas sim escolhendo alguns deles e fazendo sua base para desbravar a África do Sul.

 

Entrada da Africa House no Royal Malewane. Usando meu vestido lindo da Pitusa

 

Nosso roteiro: 

  • 2 noites no Royal Malewane - Kruger Park
  • 2 noites no Kapama Karula - Kruger Park
  • 3 noites no The Silo - Cape Town
  • 2 noites no Gondwana Game Reserve - Rota Jardim
  • 2 noites no Fancourt - Rota Jardim
  • 1 noite no Grootbos - Gansbaai
  • 2 noites no La Residence - Franschhoek

 

O roteiro ideal:

  • 2 a 3 noites no Kruger Park 
  • 4 a 5 noites em Cape Town (eu poderia morar lá, na verdade rs, então diria que fique tanto o quanto você puder, porque a cidade é incrível!)
  • 3 a 4 noites na Rota Jardim
  • 2 a 3 noites em Gansbaai ou Hermanus (uma região linda, ponto de partida para fazer o mergulho com tubarões e ver baleias em determinadas épocas do ano)
  • 2 a 3 noites em Franschhoek ou Stellenbosch (depende do tanto que você ama vinhos; eu poderia facilmente ficar uma semana….rs!)

 

A dobradinha Gasnbaai/Hermanus e Franschhoek/Stellenbosch pode ser feita tanto na ida, como na volta.

 

A maravilhosa suíte do Farmstead, uma das acomodações dentro do Royal Malewane

 

COMO IR E COMO SE LOCOMOVER

 

Fomos à África do Sul via Joanesburgo com a LATAM. De lá, pegamos um voo da South African Airways para Hoedspruit, que é uma das portas de entrada do Kruger. Outra opção, a depender de onde é seu hotel, é chegar pelos aeroportos de Nelspruit, Mpumalanga ou Skukuza. Para quem tem mais tempo, é possível também ir dirigindo a partir de Joanesburgo (umas 6 horas de viagem). As estradas são ótimas e é uma oportunidade de fazer a belíssima “Rota Panorama”, passando por lugares como o Blyde River Canyon, Mac Mac Falls, Wonder View, God’s Window e The Pinnacle.      

Safari no Kapama Karula

—————————

Chegamos em Hoedspruit em um voo de 1 hora de duração. Um transfer nos aguardava para nos levar ao Royal Malewane (cerca de 45 minutos de estrada). De lá, também fomos de transfer para o Kapama Karula, que fica exatamente cruzando a rua depois do aeroporto.

 

Finda a parte safari no Kruger, nosso voo nos levou à Cape Town, onde alugamos um carro no próprio aeroporto (fechamos tudo pela Rental Cars antes da viagem). Em Cape Town, não considero essencial um carro, já que o Uber funciona muito bem e lugares como a Table Mountain e o V&A Waterfront são difíceis de estacionar. Por outro lado, na única vez que pegamos um Uber justamente para ir à Table Mountain, tivemos uma experiência ruim com um motorista, que foi extremamente grosseiro quando pedi pra ligar o ar condicionado e o carro estava em péssimas condições. Não sei avaliar se isso foi algo isolado ou se é situação comum na cidade, mas acho importante fazer essa ressalva (na dúvida, melhor sempre pedir o Black).  

Do alto da Table Mountain

 

Não foi a primeira vez que o Daniel dirigiu na mão inglesa, mas ainda que fosse, não é um bicho de sete cabeças. Minha única recomendação é alugar um carro automático. 

 

Fizemos todos os demais trajetos dirigindo, o que nos permitiu ir e vir na hora que queríamos e ir parando conforme fosse necessário no meio do caminho.   

Pisicna da Farmstead no Royal Malewane

 

QUANDO IR

 

A primeira vez que fomos era setembro e, agora, novembro. Achei visível a diferença na paisagem, já mais verdinha na savana. Nos meses de verão no Kruger, chove mais, faz mais calor e tem mais mosquitos. A mata, mais fechada, pode tornar mais difícil visualizar os animais. Mas é a época certa também para testemunhar o nascimento de vários filhotes, como os de impala, que costumam dar à luz nas primeiras semanas de novembro. Além disso, para quem tem interesse especial por pássaros, dezembro a março são os meses certos para vê-los migrando aos montes. 

Entrada do logde no Gondwana Game Reserve

Vista do quarto da nossa villa no Gondwana Game Reserve

Em Cape Town, o verão deixa a cidade ainda mais vibrante, animada e interessante. A Rota Jardim fica florida, ensolarada e as praias passam a ser frequentadas. 

A incrível vista do Rooftop do The Silo

Piscina do Silo

De qualquer modo, ainda que vá no verão, lembre-se de levar casaco porque o clima pode ser bem instável. Eu confiei demais na previsão do tempo que indicava calor, e acabei errando na hora de arrumar a mala! Resultado: repeteco de roupas e lavagem de roupa no hotel. 

 

 

O SAFARI E AS CRIANÇAS

 

A maior emoção de fazer safari é a busca pelos chamados Big 5, ou seja, os cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem: rinoceronte, leão, leopardo, elefante e búfalo. 

Safari no Royal Malewane

Usando meu @Yuoolbrasil no safari do Royal Malewane

 

A experiência é usualmente a mesma nos hotéis de luxo: um ranger e um tracker são designados pra sua família e te acompanham durante toda a estada. Por volta das 5 da manhã, seu ranger te telefona pra você acordar e se preparar pro game da manhã. A saída é cedo assim porque nesse horário é que os animais estão mais ativos e os predadores saem para caçar. Toma-se um café e um biscoitinho antes de sair e aí começa a grande aventura.

 

 

A emoção de buscar esses bichos e vê-los em seu habitat natural é indescritível. Aos poucos eles vão aparecendo e o encanto aumentando. O encontro com os 5 depende de sorte. Na primeira vez que fomos, o leopardo não deu as caras. Dessa vez, vimos todos!  O encontro aconteceu no Royal Malewane (vejam nos destaques nos stories no nosso insta! A emoção só permitiu filmar rs).  

Contato próximo com leões no Royal Malewane e com o melhor time de rangers/trackers de toda a África

 

Na volta do game da manhã, aí sim o verdadeiro café da manhã: mesa posta e farta. 

Café da manhã na nossa Royal Suite no Royal Malewane

O dia fica livre pra fazer o que quiser, mas geralmente o calor é convidativo pra drinks à beira da piscina ou a uma massagem no spa. 

 

 

Piscina da nossa family villa no Kapama Karula 

No Royal Malewane, elefantes passavam para beber água na piscina da nossa villa e manadas de búfalos circundavam o laguinho em frente ao lodge principal! 

 

Vista do lodge principal no Royal Malewane

Vista do Lodge principal no Royal Malewane

Royal Malewane

 

No Gondwana, zebras ficavam às voltas de todo o hotel e, dizem, elefantes também costumam passar lá.

 

Visita de zebras na nossa family villa no Gondwana Game Reserve

No Kapama Karula, macaquinhos circundavam a casa e veadinhos ficavam à nossa porta. Era o verdadeiro paraíso para as crianças, pois a cada hora era uma novidade. Logicamente, tínhamos que ficar atentos para a eventualidade de nos depararmos com algum bicho mais perigoso, como uma visita inesperada de um leopardo. No entanto, no quesito segurança, nos sentimos completamente confiantes pelo nível de preparo e expertise das equipes de todos os hotéis que fomos. Investiguei, em cada um, e nos relataram que nenhum incidente jamais ocorreu naquelas reservas.   

Varanda da nossa family villa no Kapama Karula. Usando biquini e saída da Siga Tiê.

Banheiro principal da family villa do Kapama Karula

Para fazer o safari com os meninos, só foi possível porque o fizemos de forma privativa. Geralmente, não se aceita menores de 6 anos com a presença de outros hóspedes, porque senão interfere na dinâmica dos demais. Indo só nós, podíamos escolher a hora de parar, a hora de ir, vir e voltar pro hotel.   

Safari no Royal Malewane

Safari no Royal Malewane

Antes de ir à África, preparamos bem os dois para eles entenderem o que veriam e explicamos muito como se comportarem quando vissem um animal: que tinham que fazer silêncio e ter respeito. De outro lado, os rangers, com toda sua experiência, só foram à procura de leões ou leopardos quando avaliaram o comportamento dos meninos e entenderam que era seguro. À medida em que eles se mostraram bastante quietinhos, os guias iam se aproximando dos bichos com a devida cautela. Mas, a verdade: esses animais não davam a menor bola para nós. Era como se nem estivéssemos ali.   

Leões no Kapama Karula

 

Sunset Game Drive no Kapama Karula

 

A gente não levava as crianças no safari da manhã. Eu ia sozinha, enquanto todos dormiam. Chegava em nossa villa a tempo de acorda-los e tomarmos o café da manhã juntos. 

 

Por volta das 16h30, começávamos a nos preparar para o game vespertino. O final de tarde é majestoso na savana. O pôr do sol é ansiosamente aguardado enquanto somos distraídos com elefantes, rinocerontes, leões, babuínos ou girafas cruzando nosso caminho. Entre um bicho e outro, fazemos uma pausa para um vinho e para apreciar a paisagem.   

Entardecer no Kapama

Pausa para drinks no Royal Malewane

 

À noite, é hora de se deliciar com a gastronomia. Seja na tranquilidade e privacidade da nossa villa, ou em meio ao restaurante do hotel ou durante um “boma dinner”, tínhamos a certeza de que seria mais uma experiencia maravilhosa a viver. 

Boma dinner no Grootbos

 

CAPE TOWN

 

Ahhhh nossa cidade favorita no mundo. Ganhou nosso coração da primeira vez e confirmou ser nossa paixão na segunda.   

Café da manhã no The Silo

 

Em 2015, quando conhecemos Cape Town, o imponente The Silo ainda era só um projeto em construção. Desta vez, tivemos a honra de ficar nele, que é considerado um dos melhores de toda a África e sem dúvidas o melhor e mais extraordinário de Cape.   

The Willaston Bar no The Silo

 

A arquitetura austera, moderna e industrial do prédio, projetada pelo famoso arquiteto londrino Thomas Heatherwick, contrasta com a decoração vibrante, irreverente e colorida dos interiores cuidadosamente elaborada pela dona do hotel, Liz Biden. O hotel, que foi incluído na Conde Nast Traveler’s Hot List de 2018, foi também eleito como melhor hotel boutique do mundo pela Jetsetter e vencedor em design pela Virtuoso.

 

Fachada do The Silo  

Entrada do The Silo

 

O Silo veio traçar um novo parâmetro de hospedagem na cidade, sendo hoje uma referência de  arte, estilo, arquitetura e design, além de gastronomia. Com 28 quartos apenas, o hotel conta com 4 Suites Família em seu sétimo andar. Ficamos três noites em uma, que tinha dois andares: em cima ficavam dois quartos e banheiros enormes e, embaixo, sala de jantar, sala de TV, sala de estar, lavabo e uma varanda. Todo o quarto tinha uma vista privilegiada do V&A Waterfront.   

Nossa sala da family suite no The Silo

 

Vista no nosso quarto no The Silo

 

Por falar no V&A Waterfront, uma das maiores vantagens de estarmos hospedados no Silo era a facilidade de chegar até lá em uma curtíssima caminhada. Ali, nos divertimos muito com as crianças andando de roda gigante, passeando de trenzinho, brincando no parquinho público e passeando pelo local. Conhecido por reunir restaurantes de ponta, cafés, bares, lojinhas charmosas e um shopping, o V&A era o lugar perfeito pra bater perna e sentir a vibração da cidade.   

Passeio no V&A Waterfront

Escadaria do Silo District, em Cape Town

Trenzinho pelo Waterfront

 

Além disso, um passeio imperdível com a criançada é uma ida ao Two Oceans Aquarium. Ficamos horas lá, maravilhados com a beleza das arraias, a imponência dos tubarões, a graça dos pinguins e das focas. Para crianças maiores, o lugar é uma oportunidade para muito aprendizado sobre a vida marinha.   

 

O lindo túnel no Two Oceans Aquarium 

A felicidade do encontro com dezenas de nemos no Two Oceans Aquarium

Logo que o tempo permitiu, fomos à Table Mountain. Já conhecíamos, e por isso desta vez chegamos lá já de ingressos comprados antecipadamente pelo site. É importante garantir a ida na primeira oportunidade de dia ensolarado e sem vento. As condições climáticas variam bastante e o acesso à montanha costuma fechar com facilidade. Para chegar lá, você pode subir e descer de teleférico ou combinar um ou outro com uma trilha. A vista lá de cima é algo surreal de lindo. Mesmo estando lá pela segunda vez, foi difícil não ficarmos impactados com tanta beleza. As crianças também curtiram muito andar de “bondinho”, comer pipoca, ver os bichinhos que “moram” na montanha. Com eles, tudo é novidade. Eles aguentaram bravamente a quase 1 hora de espera na fila. Levem chapéu, protetor e casaco, pois mesmo com sol, o vento pode fazer ficar bem friozinho!

 

Teleférico para a Table Mountain

 

No alto da Table Mountain

 

Banheiro icônico do The Silo

Jantamos e almoçamos lá quase todos os dias. Alguns deles, no conforto da nossa suite, e outros no imponente Granary Cafe ou o Willaston Bar. O hotel também disponibiliza uma lista de restaurantes altamente recomendados, que você pode encontrar aqui.   

 

Jantar no Granary Café no The Silo

Tomar uns drinks no Rooftop do hotel é algo extraordinário e um must go na cidade, já que é aberto a não hóspedes mediante reserva. O local proporciona uma das melhores vistas de Cape Town, com um panorama completo para a Table Mountain e o V&A Waterfront.   

Entardecer no rooftop do The Silo

The Silo

 

Como já tínhamos feito todo o roteiro básico de Cape, trocamos outros passeios dito “essenciais" por uma tarde linda na piscina do Silo. Pedimos uma tábua de queijos e um bom vinho, e ali curtimos um entardecer inesquecível, apreciando o cenário espetacular. Os meninos nadaram e fizeram muita bagunça porque tivemos o local só pra gente naquele dia. Pura sorte!

 

A incrível vista no alto do The Silo

 

Diversão em família na piscina do The Silo

Mais diversão no The Silo

Piscina do The Silo. Usando meu Pitusa.

 

 

Em uma outra tarde ensolarada, fomos matar a saudade de um restaurante que amamos da última vez, o Bungalow, que tem uma vista singular dos Twelve Apostoles e uma vibe descolada praiana. No gramado em frente a ele, parapentes pousavam depois de acrobacias no ar. Foi então que me animei de saltar mais uma vez, aos cuidados da Parapaxsa Paragliding

Aos pés da Table Mountain

 

 

Não tenho nem como descrever em palavras a sensação que foi ver Cape Town lá de cima. 

 

Cape Town lá do alto

Outros passeios que eu definitivamente recomendaria ir com crianças são Boulders Beach (famosa pelos pinguins) e o Cabo da Boa Esperança (fizemos da última vez; a estrada para lá, a Chapman’s Peak Drive, é deslumbrante e no caminho dá para fazer uma parada estratégica na Muizenberg Beach, icônica devido às suas casinhas coloridas na praia). 

 

No alto verão, também não dispensaria uma ida à praia e um dia bem aproveitado em Camps Bay ou Clifton (aliás, pontos da cidade que nos apaixonamos e excelentes também para hospedagens prolongadas). Tendo mais tempo, dá pra conhecer com calma Kirstenbosch, o jardim botânico, que é um dos cartões postais da cidade e delicioso pra um piquenique com os pequenos. 

 

Uma visita ao bairro histórico Bo-Kaap, um passeio à Ilha Robben e uma trilha em Lions Head ou Signal Hill também são outras possibilidades, mas não necessariamente as melhores para ir com as crianças. Vale conhecer o The Old Biscuit Mill, um local que reúne produtores locais e bons restaurantes como o badalado Test Kitchen

 

A ROTA JARDIM

 

Tínhamos a intenção de explorar bem a rota jardim nessa viagem, mas o tempo não colaborou e acabamos ficando no nosso hotel, o Fancourt, situado na pacata cidade de George. Ali é uma boa base pra explorar as cidades próximas na Rota, como Knysna, Mossel Bay, Plettenberg e Jeffrey’s Bay. É na Rota onde se encontram atrações famosas como o bungee jump Bloukrans Bridge, o Parque Nacional Garden Route Tsitsikamma e o Addo Elephant Park.   

 

 

Como o tempo estava bastante instável, curtimos tudo no Fancourt, totalmente preparado para receber crianças com a melhor brinquedoteca em hotéis que já vimos até hoje. Contratamos também um serviço de babá na própria brinquedoteca e por uma hora tiramos uma pausa pra nós dois no incrível spa do hotel, que tem uma piscina indoor extraordinária com jacuzzi. 

Spa delicioso no Fancourt

O local é conhecido por ter um dos melhores campos de golfe do país e do mundo, o que compõem um cenário deslumbrante. As montanhas ao fundo formam uma paisagem que parece uma pintura. Os meninos correram soltos por ali, acho que extasiados também com tanta beleza.   

Diversão no Fancourt

Para quem vai em busca de romance, dentro da mesma propriedade está o The Manor House, um hotel boutique de 18 quartos que tem ares de casa no campo com o luxo de um hotel cinco estrelas. Uma fofura!

The Manor House no Fancourt

Já mais perto de Cape Town, fizemos parada em Gansbaai, cidade que é reduto de encontro de tubarões brancos e considerada o melhor lugar pra fazer shark cage diving de todo o mundo. É de lá que partem os barcos para esse passeio. Eu não tinha a menor intenção de fazer o mergulho, mas há tempos namorava um hotel na região: o Grootbos, situado em uma reserva natural particular, cravada entre montanhas, floresta e mar.  

Piscina e paisagem linda no Grootbos

Estar lá e me hospedar nesse hotel foi realizador. É um lugar que convida ao romance, mas que recebe as crianças de maneira muito especial. Em família, fica-se no Garden Lodge, que tem 11 suites enormes, totalmente equipadas e espaçosas para curtir com as crianças; indo a dois, o Forest Lodge, com suas 16 suítes e uma piscina com borda infinita extraordinária.  

Nossa banheira na familly villa do Grootbos

 

Além do mergulho com tubarões, o local proporciona inúmeras experiências: safari botânico na floresta, safari marinho (encontrando os Big 5 do mar), trilhas, piquenique na praia, passeio de quadricícolo, observação de baleias, passeio a cavalo na floresta e na praia, entre outros, quase tudo incluso na diária. Uma pena termos tido só uma noite por lá, porque a vontade era de ficar muito mais pra experimentar tudo que o Grootbos tem a oferecer. Imagino que tirar umas férias ali no verão deve ser uma delícia!

 

Atividades no Grootbos

Além de tudo, o hotel ainda tem uma piscina linda, uma brinquedoteca, um spa e um restaurante com uma gastronomia de ponta.

 

Gastronomia de ponta no Grootbos

Pelo pouco tempo que tivemos, foi possível ter duas experiências que foram particularmente muito especiais: levar nossos pequenos para passear de pônei e ter contato com os cavalos e, à noite, um jantar romântico preparado pra gente embaixo de uma árvore milenar, toda iluminada à luz de velas. 

 

Interação com os cavalos no Grootbos

 

Experiência extraordinária no Grootbos

 

 

Grootbos

Pertinho de Gansbaai, em Hermanus, fica o exclusivo Birkenhead House, que ficamos na última vez na África do Sul e que é da mesma rede do Royal Malewane e do Silo, a The Royal Portfolio. Não retornamos nele nessa viagem porque infelizmente não aceita crianças menores de 10 anos. O hotel é um sonho!

 

Foto de 2015 no Birkenhead House

 

A ROTA DO VINHO NAS CAPE WINELANDS

 

A chamada “Cape Winelands” é a principal região produtora de vinho da África do Sul, e que reúne as cidades de Stellenbosch, Franschhoek e Paarl - cada uma mais charmosa que a outra. 

 

A piscina principal do La Residence

Na última vez, nos hospedamos em Stellenbosch no hotel Clouds Estate. Naquela época, tendo conhecido a excelência de atendimento e a gastronomia da rede The Royal Portfolio ao ficarmos no Birkenhead House, tivemos a certeza de ao menos marcar um jantar no incrível La Residence, que fica em Franschhoek. Ficamos encantados com as instalações, o cenário, a comida e o serviço impecável do hotel. Era certo que um dia iríamos voltar. 

 

Área de convivência no La Residence (usando meu vestido Pitusa)

 

Conforme prometido, voltamos. E, dessa vez, tivemos a alegria de nos hospedar lá.

 

Nossa segunda casa no La Residence

 

A experiência entrou para o topo da nossa lista em viagens. Ficamos em uma Vineyard Suite, que junto com outras 4, oferecem o espaço ideal para hospedagem com famílias ou grupos e onde é possível estar confortavelmente com crianças. 

 

 

 

Essas vilas, de 1, 2 ou 3 quartos lindamente e unicamente decoradas, são servidas por uma área central do hotel exclusiva, com funcionários e chef à disposição. Tem uma piscina também privativa, além de um espaço com um bar maravilhoso, salão de jantar, lareira, cozinha e sala.

 

Piscina que serve às 5 Vineyard Suites no La Residence

 

Área comum que serve às 5 Vinwyard Suites no La Residence

Nossa Vineyard Suite no La Residence

Tudo com ares de casa, só que com o serviço de um hotel icônico de luxo. Ali, podíamos ficar à vontade com os meninos, tendo a privacidade necessária e sabendo que não estávamos incomodando nenhum casal em lua de mel, rs. Nessa área tinha um monte de jogos para a família toda se divertir, além de variados brinquedos, tintas e livros de colorir para os pequenos. 

 

Piscina do La Residence

 

O La Residence também prepara uma série de atividades para as crianças, como aulas "Junior Masterchef”, em que eles aprendem a cozinhar e decorar bolos e cupcakes. Nas noites chamadas “Parents Night Out”, os pais podem sair ou jantar com tranquilidade sabendo que os filhotes estarão supervisionados e bem cuidados fazendo uma pizza antes de assistirem seu filme preferido com pipoca. 

 

A atenção aos detalhes para as crianças no La Residence

 

Além de tudo isso, pudemos dar comida aos pôneis, ver os lindos cisnes negros, nos deparar inúmeros pavões pela propriedade, correr pelos jardins ao pôr do sol… 

 

Experiências fantásticas no La Residence

 

 



Esse artigo foi lido 372 vezes!

Sobre o Autor

Fernanda e Daniel

Fernanda e Daniel: "um casal comum, com anseio de viver experiências extraordinárias". Eles dividem suas viagens no @nosdoisnomundo, onde promovem destinos especiais, seja a dois ou em família.

Veja Também