Monte Saint-Michel: um destino espiritual para descobrir na França

  • 26 de julho de 2022
Monte Saint-Michel: um destino espiritual para descobrir na França


O Monte Saint-Michel é um Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) desde 1979.

Ele é campeão de visitas no turismo na Normandia e o terceiro local mais visitado da França, ficando atrás apenas da Torre Eiffel e do Palácio de Versalhes.

Além disso, o Monte Saint-Michel é um local sagrado, pois ocorre peregrinação cristã até hoje. Para os católicos, é um dos espaços mais sagrados da Europa.

Continue a leitura e descubra as principais informações sobre esse lugar incrível.

Qual a história do Monte Saint-Michel?

O Monte Saint-Michel foi fundado no ano de 709, por Aubert, Bispo de Avranches.  O evento histórico ocorreu após ele receber, pela terceira vez, a visita do Arcanjo Miguel, durante os seus sonhos.

Então, o Bispo resolveu construir e consagrar uma igreja na rocha, que, até aquele momento, estava abandonada.

Depois de dois séculos, no ano de 966, o duque da Normandia organizou uma comunidade de monges beneditinos no local. Eles levantaram na rocha uma abadia pré-romana.

No decorrer dos séculos, mais precisamente durante a Guerra dos Cem Anos, o destino espiritual foi ampliado. Isso porque, precisou ser protegido por muralhas e também virou símbolo de resistência aos ingleses.

Já no ano de 1424, foi construído um novo coro gótico no local, dando a igreja da abadia uma aparência mais original.

Quando visitar o Monte Saint-Michel?

O Monte Saint-Michel recebe 3,5 milhões de visitantes anualmente.  Os melhores períodos para visitar o local são na primavera e no outono.

Na segunda quinzena de abril até junho, a temperatura não é tão fria, sendo o período ideal  para os passeios. Já em Março, no início da primavera, o tempo fica mais gelado.

Durante o outono, entre a segunda semana de setembro à outubro, a temperatura fica mediana. Basta usar um casaco para ficar quentinho. O grande problema é que, em setembro, começa o período das chuvas.

Nessa época do ano, o espaço costuma receber menos turistas se for comparado com o pico da estação. Porém, vale ressaltar que o Monte Saint-Michel é um ponto turístico que recebe visitantes o ano todo.

Como aproveitar melhor o Monte Saint-Michel?

Uma dica interessante é chegar ao local no momento da abertura, às 9 horas da manhã. Dessa forma, você consegue encontrar o lugar mais vazio.

No fim da tarde, o espaço também não fica muito cheio, pois visitantes já estão indo embora. Além disso, durante à noite, o monte é incrível.

Vale destacar ainda sobre a tábua das marés. O espetáculo das marés é uma grande atração do lugar e se repete diariamente.

Na maré alta, o monte se transforma em uma ilha, enquanto nas baixas, a baía vira um banco de areia.

Você pode acessar o site do Monte Saint-Michel para verificar a tabela oficial com a tábua de marés. Assim, pode ter ideia do tamanho que ela está em um determinado período.

O que visitar no Monte Saint-Michel?

Não faltam lugares para visitar no Monte Saint-Michel. Os turistas ficam admirados do começo ao fim do passeio.

Logo no início, a estradinha estreita impressiona, com seus pequenos vilarejos e as casinhas de pedras, características da Normandia.

Veja abaixo uma lista com os principais lugares que você deve visitar no Monte Saint-Michel.

Grand Rue: o local contém bons restaurantes e lojas de souvenirs;▪ Abadia: está localizada no topo do Monte e oferece uma vista maravilhosa em toda a baía. O ponto turístico é classificado como monumento histórico e é um espaço de peregrinação cristã;▪ Museus: no interior do Monte Saint Michel, existem 4 museus. O Museu Histórico apresenta a reconstituição das masmorras da época e história sobre o Monte. O Museu do Mar mostra como ocorrem as marés e a influência delas sobre a ilha. O L’Archéoscope contém as etapas de criação do Monte Saint-Michel através de uma animação 3D. Já a A Casa Du Guesclin, é uma residência construída durante a Guerra dos Cem Anos. Nela, há móveis da época, tapeçaria, armaduras, obras de arte, entre outros objetos.





Sobre o Autor

Marcio Vital Valença

Advogado e explorador do mundo nas horas vagas. Conhece mais de 55 países em todos os continentes. Instagram @marcionomundo

Veja Também