Nossa viagem pela Lapônia: aurora boreal, paisagens cênicas, cultura e muito mais

  • 01 de janeiro de 2020
Nossa viagem pela Lapônia: aurora boreal, paisagens cênicas, cultura e muito mais


Em novembro de 2019 realizei um grande sonho que foi fazer uma viagem de caça a aurora boreal em um dos destinos mais bonitos do mundo que é a Lapônia. Fui convidado para embarcar na Expedição do querido Marco Brotto, um dos maiores especialistas do Brasil sobre aurora boreal, para acompanhar sua expedição pela Lapônia.

O Marco Brotto realiza todos os anos diversas expedições para os principais destinos do mundo onde é possível ver a aurora boreal. Ele tem expedições para Lapônia (Noruega, Finlândia e Suécia); Islândia; Alasca; Canadá e Groelândia. Para saber mais sobre as futuras expedições dele confiram o BLOG ou nos instagrans @marcobrotto e @auroraborealblog.

Eu e Marco Brotto.
Eu e Marco Brotto.

A Lapônia é uma região situada no extremo norte da Escandinávia que abrange o território da Noruega, Finlândia, Suécia e Rússia. Essa região é banhada pelo Mar Báltico; é conhecida por suas vastas áreas selvagens subárticas; seus resorts de esqui e seus fenômenos naturais, como o sol da meia-noite e a aurora boreal.

Neste post vou contar como foram os meus nove dias de viagem por essa região que eu pouco tinha ouvido falar, mas que se tornou uma das viagens mais incríveis da minha vida.

DIA 01 – CHEGADA EM TROMSØ, NORUEGA:

Cidade de Tromso.
Cidade de Tromso.

Partimos do Brasil no dia 01 de novembro de 2019 em um grupo de 26 pessoas de diversos Estados do Brasil, sendo 6 homens e 20 mulheres, com idades que variavam entre 25 e 75 anos.

Para chegar em Tromso, Noruega, cidade que foi nossa porta de entrada na Lapônia, não é tarefa fácil, pois não existem voos diretos do Brasil, sendo necessário fazer um ou mais conexões até chegar em Tromso, Noruega.

Tromsø é conhecida como sendo a “capital europeia” da Aurora Boreal e um dos destinos situados mais ao norte do mundo já no círculo polar ártico. Assim que chegamos em Tromso fomos recepcionados pessoalmente pelo Marco Brotto que já havia chegado de outra expedição com um dia de antecedência e estava no aeroporto para nos aguardar.

Skyline da cidade de Tromso.
Skyline da cidade de Tromso.

Pegamos o nosso confortável ônibus e seguimos direto para nosso hotel para fazer o check- in. Ficamos hospedados estrategicamente no centrinho de Tromso, mais especificamente no porto no hotel Clarion Collection Hotel With, hotel confortável e bastante bem localizado.

Fizemos nosso check in, deixamos nossa mala no quarto, conheci meu companheiro de quarto, Sr. Jorge, um mineiro com origem asiática super gente fina, e fomos direto jantar numa pizzaria próxima ao hotel.

Durante o jantar aproveitei para conhecer as demais pessoas da expedição e logo todos já foram se familiarizando e criando uma excelente relação de amizade.

Após o jantar seguimos para explorar a pé o centrinho de Tromsø. Tromso é uma cidade jovem e cosmopolita que abriga turistas do mundo todo e apresenta grande variedade de restaurantes, cafés e entretenimento cultural. Leiam também nosso GUIA DE TROMSO.

No dia que chegamos estava nevando bastante na cidade, o que não era comum naquela época do ano (outono), contudo, a cidade fica belíssima quando neva e deixou todo aquele cenário ainda mais especial.

Passeamos por quase toda região central e recebemos as primeiras orientações do Marco Brotto e da Laura, tour leader responsável por toda logística e organização da expedição. Depois do mini city tour retornamos para o hotel e fomos descansar. Afinal, a viagem estava apenas começando.

DIA 02 – TROMSØ, NORUEGA:

Região do Porto de Tromso.
Região do Porto de Tromso.

Acordamos por volta das 08:00 horas da manhã e fomos tomar o delicioso café da manhã do ártico – que mais parece um banquete viking. Após o café da manhã nos reunimos na recepção e nos encontramos para ir alugar a roupa de frio extremo.

Por falar em roupa de frio levei casaco, bala clava, bota, luvas, calça de neve, segunda pele... Enfim, tudo que seria necessário para aguentar as baixas temperaturas do círculo polar ártico, entretanto, já na caminhada pelo centro da cidade no dia anterior percebi que as minhas roupas não seriam sufientes e resolvi alugar uma bota e um macacão para neve. OBS.: se você estiver planejando uma viagem para esta região podem ficar despreocupados que eles alugam tudo por lá e os preços são bem justos. Paguei cerca de 400 reais pelo aluguel de 8 dias.

A Laura dividiu a turma em dois grupos e fomos fazer a locação da roupa. Tudo muito prático e rápido. Não passei nem 15 minutos na loja. Depois da roupa alugada tivemos 3 horas livres para explorar a cidade de Tromso.

Nos dividimos e saímos para conhecer o restante da cidade. Passeamos pelo porto, local onde é possível ter uma das melhores vistas da cidade, percorrendo as ruelas do centrinho e conferimos as inúmeras lojinhas, igrejas e praças da cidade.

Fotos da cidade de Tromso.
Fotos da cidade de Tromso.

Na parte da tarde nos encontramos novamente no hotel e fomos para o outro lado da cidade subir o teleférico Fjellheisen, na minha opinião a atração mais incrível de Tromso.

Vista do alto de Tromso.
Vista do alto de Tromso.

A vista do alto da montanha é simplesmente espetacular. Lembre-se de ir bem agasalhado por que o frio lá do alto é bem intenso. Passamos cerca de uma hora e meia no local curtindo todo aquele visual e tirando várias fotos da skyline de Tromso.

Depois descemos o teleférico e seguimos andando em um lindo bairro residencial de Tromso e conhecemos um pouco mais sobre o diferente estilo de vida do ártico, principalmente sobre os costumes com as abruptas mudanças climáticas.

Fomos andando até a Catedral do Ártico, outra atração imperdível na cidade, e depois atravessamos a ponte Tromsobrua e pudemos ter uma vista linda do anoitecer da cidade.

Catedral do Ártico - Tromso.
Catedral do Ártico - Tromso.

Chegamos a tempo de jantar no hotel e em seguida saímos para nossa primeira caçada à aurora boreal. Naquela primeira noite a previsão do tempo não era muito animadora e o Marco Brotto falou que se necessário fosse iriamos percorrer até 600 km para encontrar com as luzes do norte.

Saímos do hotel por volta das 20:00 horas no confortável ônibus da nossa expedição. Éramos 26 pessoas e cabiam 40 pessoas no ônibus, ou seja, quase 2 cadeiras por pessoa o que deixou os trajetos muitooo confortáveis. O ônibus possua termômentro, aquecedor, tomadas para carregar, banheiro e geladeira.

É importante ressaltar que a legislação nesta parte do mundo é super rigorosa, principalmente em relação a jornada trabalho e o Marco Brotto além de ser uma referência pela seu conhecimento e técnica na caçada da aurora ele também é muito respeitado por cumprir com exatidão a legislação.

Seguimos 150 km ao sul de Tromso e chegamos em um local onde o céu estava extremamente limpo e a temperatura estava por volta dos -10 graus. Descemos do ônibus, começamos a admirar o céu e o Marco nos deu uma verdadeira aula sobre o fenômeno da aurora boreal.

Depois de alguns minutos ali como um passe de mágica a aurora boreal começou a aparecer. Surgiu inicialmente como uma agulha até formar um lindo arco que cortava praticamente todo o céu. Uma cena que nunca sairá da minha cabeça. Neste momento o grupo todo estava em êxtase. Algumas pessoas gritando, outras chorando de emoção e outras como eu simplesmente rezando e agradecendo a Deus por aquela oportunidade.

Depois de toda aquela emoção inicial a Laura organizou uma fila e o Marco tirou várias fotos (além de guia ele é um super fotografo). Por falar em foto para tirar foto da aurora boreal não é tarefa fácil. Tem que ter um bom equipamento, saber mexer ele no escuro e aquentar todo esse frio sem luva, tarefa quase impossível.

Eu levei todo equipamento, mas como sabia que minhas fotos não chegariam nem de perto na qualidade das que seriam tiradas pelo Marco abortei a missão.

DIA 03 – TROMSØ – TENNEVOLL, NORUEGA:

Pelas estradas da Lapônia.
Pelas estradas da Lapônia.

No nosso terceiro dia em Tromso nos encontramos por volta das 9 horas no café da manhã e desfrutamos mais uma vez do ótimo café da manhã da região regado a muito salmão, arenque defumado, óleo de bacalhau e mais uma infinidade de especiarias.

Após o café da manhã seguimos direção à Costa Sul, rumo a cidadezinha de Tennevoll, Noruega. No caminho, fizemos uma parada em um supermercado gourmet chamado Eide Handel e tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre as comidas da Noruega e comprar várias comidinhas da região (salmão defumado, salame de rena, caviar, sal trufado, queijos, carne de baleia, entre outras especiarias locais).

As estradas dessa região da Lapônia são simplesmente lindas. Cada curva é um cenário completamente diferente que fez com que ficássemos atentos durante toda a viagem. Já chegando em Tennevoll fizemos uma parada na estrada para tirar fotos e admirar a paisagem.

Chegamos na nossa Pousada chamada de Fjellkysten Gjestehus no final da tarde e já estava escuro! Nevava bastante e o cenário estava lindo. Deixamos as malas no quarto e fomos para área comum onde o Marco ascendeu a lareira. Jantamos na própria pousada e depois ficamos até altas horas tomando drinks e comendo as iguarias que tínhamos comprado no mercado.

Neste dia a previsão de caçada seria no próprio hotel, porém, o tempo não estava tão legal, mas como sempre Marco Brotto estava muito atento e lá para uma da manhã eis que surge mais uma vez a dama da noite. O segundo encontro foi um pouco tímido, mas com uma intensidade de verde ainda maior que a do primeiro dia.

Vista do nosso hotel em Tennevoll.
Vista do nosso hotel em Tennevoll.

Acordamos em Tennevoll e demos de cara com uma das vistas mais lindas da Lapônia! Tiramos várias fotos e ficamos admirando toda aquela paisagem. Após o café da manhã seguimos em direção ao Polar Park, parque de vida selvagem que fica na região de Bardu, pouco mais de 30 minutos de Tennevoll. Esse Park fica vizinho a uma zona militar e tem como objetivo retirar da natureza animais que estão em perigo, fazer a recuperação deles e depois reinseri-los na natureza.

Arredores do Polar Park.
Arredores do Polar Park.

O parque é simplesmente lindo e como havia nevado muito nos últimos dias tudo estava bem branquinho coberto de neve. Lá tivemos a oportunidade de conhecer animais totalmente diferentes dos que estamos acostumados como o lince, o urso, a rena, raposa, lobo, entre outros.

Após o passeio, retornamos para o hotel, descansamos e saímos para mais uma caçada a Aurora Boreal. Neste dia os gráficos e previsões apontavam tempo fechado nos arredores do hotel com possibilidade de abrir durante a madrugada. Marco Brotto optou por tentar caçar a uns 50 km do hotel pra ver se o tempo abria, mas quanto mais nos distanciavamos do hotel mais nevava, foi ai que o tempo virou e mostrou que em Tennevoll, cidade onde estávamos hospedados o tempo estava abrindo. Retornamos para o hotel e assim que chegamos já fomos presenteados com mais um dia de aurora. Três dias de caçada e três dias de aurora.

DIA 05 – TENNEVOLL, NORUEGA – KILPISJARVI | FINLÂNDIA:

No nosso quinto dia de expedição tivemos a manhã e o início de viagem livres em Tennevoll. O dia amanheceu lindo em Tennevoll e saímos para dar um passeio pela linda cidade de Tennevoll. Como nosso hotel ficava no alto de um fiorde com uma vista privilegiada da região descemos a pé contemplando toda aquele lindo cenário até a beira do píer que existia na região.

Assim que chegamos próximos ao píer avistamos três pequenas baleias nadando entre os fiordes. A gritaria de parte do grupo que teve a felicidade de ver essa cena foi contagiante.

Passamos umas duas horas contemplando aquelas lindas paisagens, brincando na neve, tirando fotos e observando o estilo de vida do ártico. Impressionante como eles conseguem ter uma rotina em condições tão extremas e olhe que não estava nem perto do frio congelante do inverno.

Fotos de Tennevoll, Noruega.
Fotos de Tennevoll, Noruega.

Depois do passeio seguimos viagem rumo a Kilpisjarvi, cidade finlandesa próxima à fronteira da Noruega com a Finlândia. No caminho, paramos em um mercado para comprar bebidas e comidinhas, pois o nosso chalé teria uma área comum ideal para reunir o pessoal e cozinhar!

Chegamos em Kilpisjarvi no final da tarde, deixamos nossas malas nos confortáveis chalés estilo finlandeses e descemos para a área comum que ficava na beira de um imenso lago que já estava completamente congelado por conta do frio. Só para ter uma ideia nos dias que ficamos em Kilpisjarvi a temperatura média estava em -10 graus e em alguns momentos chegamos a pegar -25 graus de sensação térmica.

Marco, Wal e Eduardo tomaram a frente do fogão e preparam pratos deliciosos para o nosso jantar. Enquanto isso o restante da expedição preparava bons drinks e contavam piadas e estórias na beira da lareira.

Após o lanche tivemos um tempo para descanso e seguimos para mais um dia de caçada. O Marco Brotto possui uma planilha com centenas de localidades para ver a Aurora Boreal e esse local que estávamos hospedados dava uma oportunidade de logística ideal para alcançar a maioria desses lugares na Finlândia, Suécia e Noruega.

Como a previsão do tempo não estava legal em Kilpisjarvi no nosso quarto dia de caçada seguimos em direção a Noruega e depois de pouco mais de 100 km começamos a avistar de dentro do ônibus a aurora mais intensa que havíamos visto até o momento.

O Marco Brotto escolheu estrategicamente um local com uma vista linda de um fiorde com uma pequena cidade ao fundo. Passamos horas ali admirando e tirando fotos daquela aurora dançante. Retornamos para o hotel por volta das 4 da manhã e tivemos toda a manhã livre no outro dia.

Nossos chalés em Kilpisjarvi, Finlândia.
Nossos chalés em Kilpisjarvi, Finlândia.

No nosso sexto dia na Lapônia acordamos por volta das 12 horas, tomamos café da manhã e saímos caminhando até um lugar próximo onde mora um Sami, a fim de aprendermos sobre a cultura local e a importância das renas.

Para quem não sabe os Sami são os índios que vivem na Lapônia e possuem toda uma cultura peculiar. No local vivemos uma verdadeira experiência Sami, conhecendo mais sobre sua rica história, seus trajes, alimentação e seu modo de vida.

Depois dessa verdadeira aula tivemos a oportunidade de alimentar o rebanho de renas que existe na propriedade e de conhecer mais sobre esse animal tão comum nessa região do mundo.

Depois da Experiência Sami fomos andando até o supermercado que ficava a pouco mais de 10 minutos de caminhada do hotel e do local da experiência. Lá fizemos várias comprinhas. Compramos alimentação (salmão defumado, carne de rena, queijos) e bebida (compramos a vodka mais famosa da Finlândia - LAPLANDIA que existe em vários sabores. Não deixem de provar a de café que é deliciosa!) e alguns souvenirs (imãs de geladeira e lembrancinhas). Vale lembrar que na Finlândia a moeda é o Euro e a moeda da Noruega não é aceita.

Retornamos mais uma vez para área comum do hotel e confraternizamos novamente! Desta vez, dona Beth Brotto, mãe do Marco, fez uma deliciosa sopa de salmão; Marco fez um prato de carneiro; eu e Jorge compramos um porco pronto que estava maravilhoso e fizemos uma degustação com várias cervejas da região.

Parte do nosso Grupo.
Parte do nosso Grupo.

À noite, seguimos para mais um dia de caçada e mais um dia de sucesso. Neste dia tivemos que ir quase até Tromso, cidade da Noruega que foi nossa primeira parada na Expedição, pois o tempo só estava aberto nesta região e como o Marco Brotto não sossega enquanto não encontra com a dama da noite nesta noite rodamos quase 400 km no nosso confortável ônibus. Chegamos novamente bem tarde e o corpo neste dia já estava pedindo descanso.

DIA 07 – KILPISJARVI:

No nosso último dia em Kilpisjarvi tivemos o dia livre no hotel. Aproveitei para colocar o sono em dia e acordei praticamente 2 horas da tarde.

Neste dia aproveitamos para explorar os arredores do hotel, fiz umas imagens aéreas com drone da região que por sinal é belíssima e demos uma caminhada no lago congelado que cortava a paisagem dos nossos chalés.

No final da tarde nos reunimos na área comum e fizemos um risoto com a rena que compramos. Ficou simplesmente maravilhoso!!! Tomamos alguns drinks e Marco Brotto passou o briefing da nossa caçada.

Como estávamos com tempo Marco Brotto sugeriu que fossemos conhecer a fronteira da Finlândia com a Suécia e seguimos rumo a Karesuando, porém, depois de alguns quilômetros o frio foi ficando tão intenso que o termômentro interno do ônibus começou a marcar -23 graus e o vidro do ônibus começou a congelar (risos). Marco Brotto avaliou a situação e como a segurança de seus clientes sempre vem em primeiro lugar ele decidiu retornar e procurar a aurora na Noruega.

Depois de pouco mais de uma hora de estrada chegamos no local ideal para ver a aurora e rapidamente ela apareceu! Apareceu com a maior intensidade de todos os dias até o momento. Explodiu com tons verde, vermelho e roxo. E para melhorar dançou várias vezes sob a nossa cabeça. Um verdadeiro espetáculo.

Subimos no ônubus e extasiados e fomos retornando para o hotel, pois a previsão era de céu aberto e mais aurora. No meio do caminho Marco avistou a aurora novamente, entramos em uma estrada dentro de uma fazenda e vimos novamente ela lá com a mesma intensidade. Que presente de Deus.

Voltamos para o nosso hotel perto de uma da manhã. Como a viagem já estava acabando e a turma ainda estava animadíssima fomos para área comum, fizemos um lanche, colocamos as bebidas para gelar na nossa geladeira natural (-20 graus) e ficamos mais uma vez admirando a aurora.

Nesta noite ela apareceu diversas vezes na frente do hotel e Marco Brotto incansavelmente tirou infinitas fotos em vários locais do hotel. Um noite gelada que se tornou uma das melhores da minha vida.

DIA 08 – KILPISJARVI – TROMSØ:

Como já tinha deixado minha mala arrumada no dia anterior aproveitei novamente para acordar tarde e recarregar minhas energias! Saímos do nosso hotel em Kilpisjarvi já no meio da tarde e seguimos direção até Tromso, Noruega.

No caminho fizemos várias paradas na estrada pela fotografar todas aquelas lindas paisagens da Lapônia. Paramos numa região de montanhas, na beira do mar de um lindo fiorde em Skibotn e na placa da fronteira da Finlândia com a Noruega.

Chegamos em Tromso por volta das 16:00 horas! Fomos devolver nossas roupas alugadas e tivemos cerca de 2 horas para passear pela cidade e entrar nas lojinhas para comprar os últimos souvenirs.

Retornamos para o hotel por volta das 18 horas, pois na diária do hotel (mesmo hotel que ficamos na ida) estava incluído um ótimo jantar. Quando estávamos todos jantando Marco Brotto reuniu todos e falou que contratou um novo motorista e que teríamos mais uma noite de caçada. Um verdadeiro presente, pois no roteiro nossa noite seria livre em Tromso.

Foi apenas o tempo de jantar e fazer nossa sétima e última caçada. Será que íamos ter a mesma "sorte" dos dias anteriores? Embarcamos no ônibus já em clima de despedida e muito chorosos, pois além da fantástica experiência de ver de perto um dos fenômenos mais lindos da natureza também fiz 25 novos amigos.

Nosso Grupo.
Nosso Grupo.

Fizemos uma espécie de city tour noturno nos arredores de Tromso e depois de mais de uma hora de passeio Marco Brotto nos levou em um vale super lindo no meio de dois fiordes. Marco posicionou sua câmera fotográfica e ficamos ali admirando aquele céu limpo que dava para ver todas as estrelas e várias estrelas cadentes que cortavam o céu a todo instante.

Por falar em estrela candente elas foram uma constante durante todos os dias de caçada. Não teve um dia sequer que não vi uma! Acho que fiz mais de 30 pedidos por que reza a lenda que toda vez que vemos uma podemos fazer um pedido que ele se concretiza.

Depois de uns 15 minutos de espera as Luzes do Norte começaram a aparecer no céu e como um presente divino fechou com chave de ouro a nossa expedição e apareceu com a maior intensidade de todos os dias. Passamos horas admirando ela. Deitei na neve e cai no choro agradecendo a Deus por ter me dado toda aquela oportunidade. Que dias maravilhosos e intensos meus amigos. E assim foi nosso último dia de caçada.

DIA 09 – TROMSØ – EMBARQUE:

A viagem acabou na madrugada do dia anterior, pois como estávamos em um grupo de 26 pessoas os voos saíram de Tromso em vários horários diferentes e muitos dos participantes ainda iam esticar suas férias pela Europa.

O meu voo era no início da tarde então aproveitei para descansar e voltar para o Brasil com as baterias carregadas para ver minhas duas princesas (Marcela e Maria Luísa) após 9 dias de aventuras na Lapônia.

Muitas pessoas me perguntaram quanto custa uma expedição como essa! A viagem custou cerca de 4.8 mil dólares a parte terrestre (hotéis em quarto duplo, transporte, entradas dos passeios e grande parte da alimentação) + o aéreo que vai variar de acordo com a época (custa em média R$ 5.500,00 reais). Esse preço pode até parecer caro, mas falo com sinceridade é super justo levando em consideração o que está incluído no pacote, as regiões inóspitas e belíssimas que são visitadas e a altíssima qualificação do Marco Brotto na caçada a aurora. Só digo uma coisa: VALE CADA CENTAVO.

A viagem da LAPÔNIA se tornou em uma das viagens mais especiais que tive a oportunidade de fazer em minha vida. Espero que tenham curtido também. Qualquer dúvida é só perguntar que terei o maior prazer em respondê-los.

O Marco Brotto realiza todos os anos diversas expedições para os principais destinos do mundo onde é possível ver a aurora boreal. Ele tem expedições para Lapônia (Noruega, Finlândia e Suécia); Islândia; Alasca; Canadá e Groelândia. Para saber mais sobre as futuras expedições dele confiram o BLOG ou nos instagrans @marcobrotto e @auroraborealblog.

Seguro viagem:

Sempre que viajamos para o exterior fazemos seguro viagem internacional. Para essa viagem não poderia ser diferente. Fizemos nossa cotação através do Real Seguro Viagem que é uma empresa bastante seria e que nunca nos deixou na mão. Para fazer uma cotação é só CLICAR AQUI.

Aluguel de Carro:

Para quem gosta de comodidade e maior liberdade nas viagens faça a cotação para locação do seu carro por aqui. CLIQUE AQUI e faça seu orçamento sem compromisso



Esse artigo foi lido 609 vezes!

Sobre o Autor

Marcio Vital Valença

Advogado e explorador do mundo nas horas vagas. Conhece mais de 55 países em todos os continentes. Instagram @marcionomundo

Veja Também