Tudo sobre a Guatemala: principais cidades, atrações, passeios e dicas em geral

  • 04 de fevereiro de 2020
Tudo sobre a Guatemala: principais cidades, atrações, passeios e dicas em geral


Nossa colunista Cristina esteve recentemente na Guatemala e nos presenteou com esse lindo post.  "A pergunta que mais ouvi foi: o que você vai fazer na Guatemala? Mas o meu despertar para esse país foi uma foto que vi há 5 anos atrás de Samuc Champey e hoje posso falar com convicção que venham para a Guatemala. País seguro (sou uma mulher viajando sozinha), com comida boa, com uma diversidade incrível que vai de lagos há ruínas maias e com um povo extremamente simpático e preparado para receber os turistas.

 

Quais cidades e atrações visitar na Guatemala?

 

Antígua: era a antiga capital da Guatemala, mas após sucessivos terremotos, foi destruída e a capital foi transferida para uma distância de 40 km. Está rodeada por 3 vulcões dos 29 que existem na Guatemala (Água, Acatenango e Fuego).

 

 

Como chegar em Antígua:

 

Táxi : paguei 30 dólares saindo do aeroporto da Cidade da Guatemala. Ônibus : 10 dólares saindo do aeroporto.

 

O que visitar em Antígua:

 

1) Tanque La Union; 2) Convento Santa Clara; 3) Iglesia de La Merced; 4) Arco De Santa Catalina; 5) Central Park / Plaza Mayor; 6) Catedral de Antigua ou Catedral de San José 7) Palácio de Ayutamiento 8) Convento Santo Domingo

 

Onde comer em Antígua:

Tente almoçar em um dos mirantes da cidade pois possuem vista para os vulcões. Minhas escolhas:

Mirante San Cristobal el Alto: está a 20 minutos do centro e tem uma vista espetacular. Há um restaurante orgânico e vista linda dos vulcões Fuego e Acatanango. Compre o transporte de van no caixa da loja Nim Pot (ou Huipil como é conhecida pelos moradores), um grande galpão de artesanato cor de laranja que fica junto ao Arco de Santa Catalina;

 

Mirante Santo Domingo Del Cerro: com bela infraestrutura e restaurante. Vista para os vulcões Fuego e Acatanango . O transporte é gratuito a partir da Casa Museu Santo Domingo. Dê seu nome ao porteiro e fique de olho na van pois só tem 8 lugares (hora em hora). Ao retornar visite o hotel anexo ao museu e os jardins.

 

Lago de Atitlan

 

o lago mais profundo da América Central. Calculam que possui 340 metros de profundidade mas não sabem ao certo. O Lago é cercado por 3 vulcões (Atitlan, San Pedro e Toliman/ativo) e serviu de inspiração para o autor do livro o Pequeno Príncipe, pois teve que se recuperar de um acidente aéreo na Guatemala. Possui 18 vilarejos em volta do lago e cada um tem uma proposta diferente.

Os três maiores vilarejos: San Pedro, Panajachel e Santiago de Atitlan. Menores e com cultura mais intensa: San Marcus,Santa Cruz e San Juan;

 

Como chegar : paguei 10 dólares em Shuttle saindo do meu Hostel em Antígua.

 

1º) San Marcos (fiquei 3 noites):

 

 

Bem Zen e para quem quer descansar ou meditar é perfeito. Possui vista incrível para os vulcões e diversos lugares para meditar, fazer massagem, yoga, restaurantes vegetarianos e orgânicos. Para os mais aventureiros há um penhasco com um mirante que é usado como trampolim. Eu fui! Não olhe pra baixo. Quem olhava arregava! Simplesmente corra e se jogue.

 

 

 

O que fazer em San Marcos:

 

Fotografar as lindas ruas coloridas; Aproveitar os restaurantes rodeados de natureza; Cerro Tzankujil: reserva natural com vista (ir com roupa de banho) pois tem lugares para nadar e o famoso penhasco.

 

2º) San Pedro (fiquei 3 noites):

 

Conhecido pelas festas e vida noturna. Foi minha escolha para o ano novo.

Como chegar em San Pedro: de shuttle direto de Antígua ou no meu caso saindo de barco de San Marcus (15 minutos só) . Assim que a população local e os turistas vão para os vilarejos pelo valor de 25 GTQ (um pouco mais de 3 dólares)

 

O que fazer em San Pedro, Guatemala:

 

 

Aproveitar para fotografar as ruelas. Parecem labirintos mas você acaba se encontrando. Garanto pois não tem ninguém que se perde mais do que eu;

Ir no Lake Club do Sababa Resort: fui no restaurante do mesmo nome e me perguntaram se eu conhecia o resort. Falei que não e me falaram que poderia desfrutar de toda área de piscina, bar e restaurante pagando 30 GTQ (4 dólares). Fui correndo né ? Como tem menos de 1 ano poucos turistas conhecem mas possui o balanço mais instagramável hoje de San Pedro;

Zoola Hostel: me hospedei no de Antígua e me avisaram lá que no de San Pedro tinha um bar com piscina e mais uma vez não precisaria estar hospedada . Consumiu no bar? Usa a piscina , espreguiçadeiras e aproveita a vista do píer. Lago e vulcões é imbatível não é mesmo? Foi o local que passei o ano novo. Fui todos os dias apesar de estar hospedada em outro lugar.Mais que recomendando;

 

Lanquin/Samuc Champey:

 

Foi por esse lugar que fui para a Guatemala, mas muitos desistem pois só se chega de ônibus ou shuttle após 10 horas de viagem e os últimos quilômetros em uma estrada penosa para veículos 4x4.  

 

Como chegar em Lanquin/Samuc:

 

Saindo de Antígua porque saindo do Lago Atitlan a viagem será mais demorada. A estrada para Samuc é por Antígua então não tem sentido sair do lago certo? Durma uma noite por lá pois o transfer sai às 8 da manhã. Paguei no Zoola Antígua 200 GTQ. Chegando em Lanquin o próprio hotel pegou todos na rodoviária (estava mais pra parada de ônibus) .  

 

O que fazer em Lanquin/Samuc:

Tem muita gente que fica 2 noites só em Lanquin. A da chegada que acontece no fim do dia e a outra após voltar de Samuc. São mais 9 horas pra Flores . Nem tive dúvidas e fiquei 3 noites para aproveitar a estrutura do hotel que ficava na beira do rio e poder me preparar para mais uma longa as viagem.

 

Ir para Samuc Champey : Como no hotel era bem mais caro paguei para o Eddie e sua equipe (telefone +502 3306 4579). São profissionais , atenciosos e além do transfer, está incluído visita ao mirante , atividades em cavernas e bóia Cross (essa paga mais 10 GTQ). Vi gente que foi por conta própria para economizar e achou que era só mirante e rio. Acabaram achando sem graça e sinceramente tem muita coisa para fazer por lá . Leve repelente, água e sapatilha aquática para entrar nas cavernas . Caso contrário vai ter que alugar lá.

 

Flores/Tikal:

 

Cidade pitoresca em uma pequena ilha de Flores no Lago Peten Itza. Conectado ao continente por uma pequena calçada, a ilha é pequena e em 30 minutos caminhava por ela. Devido à proximidade com Tikal tornou -se ponto de mochileiros. Flores gira em torno no lago: restaurantes, cerveja gelada, passeios de barco.

 

Como chegar em Flores e Tikal:

Distância de Lanquin para Flores são 264 km. Paguei 90 GTQ (11 dólares) e saímos às 9 horas e chegamos às 18 horas. Faltando 70 km para Flores há uma travessia de balsa . Aqui vai um alerta: o motorista parou em um posto para que mudássemos de transfer pois ele iria direto para El Remate (cidade mais perto de Tikal) . Caso aconteça o mesmo com você pegue um Tuk Tuk ou táxi. Entramos na van e a pessoa muito solicita e educada foi perguntando sobre nossas nacionalidades e bla , bla , bla. A certa altura perguntou quem iria pra Tikal e claro todos iam . Eu estava com 4 amigos colombianos que conheci no hotel de Lanquin e como ele cobrou 160 e no Hostel dos meus amigos eram 90 GTQ , eles pediram o telefone da agência do tal senhor para ligar depois já que iríamos fazer uma pesquisa de valores. Ele não deu o nome e nem o telefone da agência e começou a nos insultar. Faltando 1,5 km para nosso hostel ele pediu que todos saíssem. Eu estava com internet e chegamos salvos em nossas hospedagens.

 

O que fazer em Flores e Tikal:

1) Visite Tikal: o transfer sai às 5 da manhã e pagamos 90 GTQ (guia incluso). Na entrada do parque tem que apresentar identificação ao comprar o ingresso que custa 150 GTQ ($20 dólares) A minha carteira de habilitação foi aceita, mas por via das dúvidas leve seu passaporte. Voltamos às 14:30 horas. Uma hora até Flores;

 

 

2) Balanço da Corda de São Jorge (conhecido como Rope Swing): pode chegar de barco público e é administrado por uma família local. Tem restaurante. São cordas em árvores que nós lançam no lago. Uma delícia de lugar. Tem trampolim também;

 

 

3) San Miguel: vilarejo do outro lado da ilha de Flores. O mais econômico é ir com os barqueiros que ficam oferecendo a travessia por 5 GTQ o trecho. Fica a menos de 2 minutos e tem como atrações: Mirador Del Rey Canek (vê toda ilha de Flores); Playa El Chechenal linda com mar verde esmeralda e areia branca e por ser privada cobra entrada de 5 GTQ; Restaurante e Hostel Casa de Gretchel (píer bem bonito). Como fui cedo tomei café da manhã por lá; e caminhe e fotografe suas ruas coloridas e o letreiro na entrada da ilha. As ruas mais bonitas são Callejón El Remolino e a Calle La Union".

 

 



Esse artigo foi lido 130 vezes!

Sobre o Autor

Cristina Paiva

Brasiliense, viciada em viagens, tanto que tatuou na própria pele o nome Wanderlust”. Compartilha suas viagens no Instagram @viajandoconhecendoevivendo

Veja Também