Melbourne: a melhor cidade do mundo para se viver

  • 30 de abril de 2016
Melbourne: a melhor cidade do mundo para se viver


Considerada por vários anos consecutivos como a melhor cidade do mundo para se morar Melbourne foi o nosso primeiro destino da Austrália. Pegamos um voo em Queenstown, na Nova Zelândia, com destino a Melbourne, na Austrália, com 3 horas de duração. 

 
Assim que chegamos no aeroporto internacional de Melbourne pegamos um táxi (mini van) onde cabiam 6 pessoas com seis malas grandes para o centro. O trajeto levou 35 minutos e custou 60 AUD. Já no caminho descobrimos porque a cidade é considerada a melhor cidade do mundo para se viver.
 
 
Yarra River.
 
 
A cidade é bastante organizada, repleta de atrações turísticas, cheia de cultura, limpa, com uma população extremamente atenciosa, segura e bastante fácil de se locomover. Para conhecer a cidade e suas principais atrações recomendo passar no mínimo três dias inteiros. Ficamos dois e meio e deixamos de fazer bastante coisa interessante!
 
 
 
Fuso horário.
 
 
A Austrália fica do outro lado do mundo! Em relação ao horário de Brasília, Melbourne está 13 horas na nossa frente. Ou seja, o dia começa primeiro por lá. Tanto é assim que no Réveillon assistimos primeiro a queima de fogos de Sydney e somente 13 horas depois rompemos o ano.
 
 
Melbourne by night.
 
 
Visto.
 
 
Os brasileiros necessitam de visto de turismo para visitar a Austrália. O procedimento é relativamente simples e pode ser feito integralmente pela internet. Escrevemos um post específico sobre o assunto para facilitar a vida do viajante. Clique AQUI.
 
 
Catedral de St. Paul's vista da Federation Square.
 
 
Língua e câmbio.
 
 
A língua oficial é o inglês e os australianos são muito educados e bastante atenciosos.
 
 
 
 
A moeda é o dólar australiano e é menos valorizado que o dólar americano. Levamos Euro e Dólar para nossa viagem e o dólar foi muito mais aceito e valorizado. O câmbio pode ser facilmente realizado em diversos pontos da cidade! Em especial no aeroporto e no centro, contudo, as cotações do centro são mais favoráveis.
 
 
Onde ficar:
 
 
Melbourne possui uma excelente cadeia de hotéis com preços parecidos com os praticados nas grandes cidades brasileiras. Ficamos no Ibis Budge, na Elizabet Street, a poucos passos do Federation Square. O hotel é fraco, porém, é muito bem localizado e atendeu nossas necessidades básicas.
 
 
 
 
Recomendo ficar no centro ou na região do Yarra River, pois essas duas regiões possuem ótimos restaurantes e diversas opções de lazer. 
 
 
Yarra River.
 
 
O hotel que mais chamou nossa atenção foi o Crown, pois possui vários restaurantes, um shopping, cassino e uma localização impecável. Conheçam outros hotéis da cidade clicando aqui e aproveitem e façam a sua reserva.
 
 
 
 
Como se locomover:
 
 
As principais atrações de Melbourne ficam relativamente próximas uma das outras, portanto, a melhor maneira de conhecer a cidade em sua plenitude é andando.
 
 
 
Outra opção boa e barata é pegando o ônibus turístico vermelho. Dois dias nesse ônibus custa apenas 10 AUD e passa pelos principais pontos turísticos da cidade (leia mais aqui sobre esse transporte).
 
 
Principais atrações da cidade:
 
 
A cidade possui uma infinidade de atrações turísticas! As que eu considero imperdíveis são:
Onde comer: 
 
 
A culinária é levada muita a sério tanto na Austrália como na Nova Zelândia, portanto, tenha certeza que o viajante irá se dá muito bem nesses países. Escrevemos em um post específico sobre os principais restaurantes que visitamos (clique aqui).
 


Esse artigo foi lido 6118 vezes!

Sobre o Autor

Marcio Vital Valença

Advogado e explorador do mundo nas horas vagas. Conhece mais de 55 países em todos os continentes. Instagram @marcionomundo

Veja Também